22Set
2017
0
acne

Transformações físicas e psicológicas

A puberdade surpreende principalmente pelo novo aspecto físico que se vai adquirindo; contudo, as modificações que têm lugar no corpo são tão numerosas que se desenvolvem novos sentimentos, estados de espírito contraditórios, preocupações, e surgem muitas perguntas novas em relação a tudo aquilo que está a acontecer.

1213

 

 

Todas as raparigas e todos os rapazes vivem este processo de modo diferente, de modo pessoal. Enquanto uma se preocupa porque ainda não lhe cresceram os seios, outra fica alarmada porque os dela começaram a crescer muito cedo. Um rapaz pode estar desejoso de ter pêlos no púbis, e a outro isso nem lhe passa pela cabeça.

Alguns pré-adolescentes, raparigas e rapazes, exibem com entusiasmo, orgulho e satisfação as novas características do seu corpo, outros sentem vergonha, ficam embaraçados e confusos. As alterações da puberdade-, que começam geralmente entre os oito e os doze anos, atingem a sua plenitude entre os dezasseis e os dezoito. com uma ligeira
diferença entre os rapazes e as raparigas.

A grande diferença de estatura entre raparigas e rapazes da mesma idade suscita muitas interrogações. Entre os  onze e os catorze anos, as pré-adolescentes são em geral mais altas que os rapazes, mas esta diferença só dura até eles começarem a surpreender-nos com uma altura inesperada.

Pode acontecer que aquele que, aos dezassete ou dezoito anos, era o mais baixinho venha a ficar o mais alto do grupo; mas também é possível que a sua estatura não ultrapasse a média familiar nem as dos restantes colegas.

O crescimento físico não acontece de modo simultâneo em todas as partes do corpo. É muito frequente verificarem-se certas desproporções entre as extremidades e o resto do corpo, até que, lentamente, acabam por se harmonizar. Acontece então que, estando habituados a ter um tamanho mais pequeno, os vossos movimentos tendam a ser mais ou menos desajeitados antes de recuperarem a sua antiga natureza.

Uma grande preocupação dos rapazes pré-adolescentes diz respeito à medida de certas partes do corpo, enquanto eles não compreenderem que as dimensões não tem qualquer relação com o prazer nem com o bom funcionamento dos seus órgãos, nem com a masculinidade. Pensa-se erradamente que o pénis tem de ser grande para satisfazer melhor o desejo sexual da parceira. Contudo, os estudos científicos demonstraram que não são as dimensões do pénis (grande, médio ou pequeno) que favorecem o prazer sexual, mas a qualidade da relação afectiva: como os dois parceiros são atraídos um pelo outro, em que medida se conhecem, como se amam, como se acariciam, como se tratam e se respeitam, se nas suas relacões eróticas têm em conta os gostos recíprocos,  as preferências e as características pessoais.
As raparigas têm uma preocupação semelhante em relação à medida e à forma dos seios.

Muitos rapazes e raparigas preocupam-se com a ideia de que, para serem atraentes, precisam de ter características semelhantes às dos modelos de beleza que predominam no meio social em que vivem. Assim, algumas raparigas esforçam-se por serem magras ou sofrem pelo tamanho do peito ou das nádegas, outras pela forma das pernas, pela cor ou por outras características dos olhos, dos cabelos.
Os rapazes preocupam-se com a abundância de pêlos no corpo ou no rosto, com a força física ou a agilidade dos movimentos. Em geral, tanto elas como eles gostariam que as modificações da puberdade fossem mais conformes às imagens de beleza e aos códigos de atracção sexual que apresentam os meios de comunicação social, especialmente o cinema ou a televisão.

É normal que te preocupes. Tanto as raparigas como os rapazes desejam ter um aspecto físico agradável e sentir a aceitação dos outros. De facto, sejam quais forem os teus desejos, acabarás por te assemelhar mais aos teus familiares que às personagens da moda, com as quais não tens qualquer ligação genética.

Queixares-te e sofreres pelas tuas aspirações frustradas não te ajuda a compreender as alterações da puberdade, nem a vivê-las com à-vontade. É bom que leves o tempo necessário para encontrar uma explicação razoável: por isso te convido a reflectir e a conversar com os amigos da tua idade sobre as ideias que se seguem.

– A puberdade é um processo natural que se exprime de forma autêntica e diferente em cada rapariga e em cada rapaz.
– Não é só a estética do corpo que influi na beleza ou na atracção sexual. Há muitos sentimentos e qualidades que embelezam consideravelmente as pessoas e que as tomam profundamente atraentes. Estas qualidades podem ser aprendidas.

Um rapaz pode ser muito giro, ter um belo aspecto, mas não ser atraente, porque…
• É muito egoísta.
•  É superficial.
•  É um mal-educado!
• Acha que é mais importante que os outros porque possui muitas coisas.
• Que pena! É tão giro. mas tão antipático!

Uma rapariga, sem ser bonita, pode ser muito atraente e amada, porque…
• É doce e afável.
• Fala de modo a deixar-nos à vontade.
• Exprime-se com respeito.
• No dia do meu aniversário ofereceu-me uma poema e um desenho.
• É uma rapariga simples e espontânea.
• Não fala de modo vulgar.
• Não é bisbilhoteira.

Mais que sonhar com modificar o próprio aspecto físico, é melhor adquirir hábitos saudáveis: praticar um desporto ou outro tipo de exercícios físicos, habituar-se a uma alimentação equilibrada, a uma higiene pessoal cuidada, a informar-se sobre tudo o que pode dificultar o bom funcionamento do corpo.

 

14